sábado, 10 de setembro de 2011

A Amazônia e o Xingu na XV Feira Pan-Amazônica do Livro

O Instituto Amazônia Solidária e Sustentável (IAMAS) convida os povos da Amazônia, do Brasil, do Mundo, a debater: a Amazônia. O atual modelo de desenvolvimento implementado nesta região, seus conflitos sociais, econômicos, culturais, políticos e ambientais. Para ajudar nesta reflexão propõe-se como referência de caso o polêmico projeto da Usina Hidrelétrica (UHE) de Belo Monte, no rio Xingu.
Esta viagem a realidade amazônica, seus problemas, suas perspectivas, ocorrerá no dia 10 de setembro de 2011 (sábado), das 16 às 18h, na sala 01, durante a XV Feira Pan-Amazônica do Livro, em Belém/Pará/Brasil.


SERVIÇO:
DEBATE: Desenvolvimento na Amazônia: dilemas e perspectivas. Um olhar sobre o modelo implementado na região e o polêmico projeto de Belo Monte
LOCAL: XV Feira Pan-Amazônica do Livro – Sala 01 (100 lugares)
DIA: 10 de Setembro de 2011
HORA: 16h (pontualmente)

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Grito dos Excluídos: "Grito dos Indignados em defesa da Amazônia". Dia 7 de Setembro.

O "Grito dos Excluídos", tradicional movimento social realizado no dia do feriado da Independência do Brasil, comemorado em 7 de setembro, deu lugar no dia de hoje, em Belém, às vozes da florestas.
Cerca de mil lideranças ambientalistas, estudantis, sindicais e vegetarianos sob o comando do Movimento Xingu Vivo (Comitê Metropolitano) foram às ruas do centro da cidade para protestar contra a construção de barragens na Amazônia, em especial da hidrelétrica de Belo Monte (no Rio Xingu), em Altamira (848 km de Belém).

A defesa da Amazônia, a solidariedade aos trabalhadores da Construção Civil, em greve desde o dia 05, a denúncia da impunidade aos patrocinadores dos crimes no campo, a corrupção que enfesta todas as esferas de governos. De Duciomar à Dilma, passando por Jatene foram à tônica das palavras de ordem que durante o percurso, foram ouvidas pela população que acompanhava o desfile militar.
- "Oh, oh, oh, lá vai dinheiro! Belo Monte é obra da Dilma pros empreiteiros!!!", cantavam os ativistas em macha.
- Este é um ato em defesa da Amazônia, dos seus rios, contra as barragens e à construção da hidrelétrica de Belo Monte. Portanto, defendemos a vida, a presenvação da natureza, dos povos que habitam nossa região, a fauna e a flora como patrimônio dos povos que vivem nas nossas florestas, disse Dion Carvalho, do Comitê Metropolitano Xingu Vivo para Sempre.
Na altura da avenida Oswaldo Cruz, uma barreira do batalhão de choque da Polícia Militar bloqueou o acesso da coluna.

Cantando: "Para Belo Monte se firmar! Quantos índios vão matar? Mas se o povo se unir, Belo Monte vai cair! Vai cair, vai cair, Belo Monte vai cair!", a marcha seguiu a caminhada.

A alternativa foi seguir pela Avenida Assis de Vasconcelos, "subir" a Avenida Serzedelo Correa e "entrar" pela Presidente Vargas, sentido Praça Pedro Teixeira, assim foi feito. Só que os ativistas, marcharam de costas, em protesto às tentativas da PM de impedir a caminhada que encerrou com uma mística [performance teatral] em defesa da Amazônia, em frente ao tratro Waldemar Herinque.


Fonte: http://marinorbrito.blogspot.com/2011/09/grito-em-defesa-da-amazonia-protesta.html?spref=fb
FOTOS
Coletivo Vamos à Luta!
Juventude Indignada





quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Ato público nessa sexta (02/09) contra o caos na saúde no Pará

Ato público nessa sexta (02/09) contra o caos na saúde no Pará
18h na Praça do Operário em São Brás. Vamos à Luta!

Belém: JATENE É CULPADO PELO DESMONTE DA SANTA CASA!



Nota do Vamos à Luta, Unidos Pra Lutar, SINTSEP-PA, SINTRAM, DCE UNAMA e Grêmio UG sobre as mortes das crianças na Santa Casa em Belém-PA. Clique no boletim para ler a nota.

Paralisação dos estudantes de Educação Física da UEPA


Nessa quinta-feira, 25/08, os estudantes do curso de educação física da Universidade do Estado do Pará. UEPA, realizaram um dia de paralisação no campus. A pauta de reivindicação é o questionamento sobre a paralisação das obras, a falta de professores no curso e a falta de um Restaurante Universitário na escola Superior de Educação Física. Na próxima segunda feira está marcada uma reunião entre representantes da coordenação do curso, da reitoria com os estudantes para tratar do assunto. De acordo com Marcelo Reis, do Centro Acadêmico de Educação Física (CACEF) se não houver o atendimento das pautas dos estudantes, a mobilização continuará.

 

 

Boletim do Vamos à Luta - Agosto de 2011


Manifestantes fazem caminhada contra usina de Belo Monte


20/08/2011 13h58 - Atualizado em 20/08/2011 15h27

Este sábado é o Dia Internacional de Ação em Defesa da Amazônia.

ATO ACONTECE EM VÁRIAS CIDADES E ESTADOS NO BRASIL.

Do G1, com informações da Agência Estado
Manifestantes do Movimento Xingu Vivo para Sempre, coletivo de organizações sociais de ambientalistas da região de Altamira, e do Movimento Brasil pela Vida nas Florestas realizam caminhada pelas ruas da cidade de Belém (PA), contra Belo Monte e o novo código Florestal, neste sábado (20), Dia Internacional de Ação em Defesa da Amazônia. (Foto: Agência Estado)
Manifestantes do Movimento Xingu Vivo para Sempre, coletivo de organizações sociais de ambientalistas da região de Altamira, e do Movimento Brasil pela Vida nas Florestas realizam caminhada pelas ruas da cidade de Belém (PA), contra Belo Monte e o novo código Florestal, neste sábado (20), Dia Internacional de Ação em Defesa da Amazônia. (Foto: Agência Estado)
Ato acontece em várias cidades e estados no Brasil e no mundo (Foto: Agência Estado) 
Ato acontece em várias cidades e estados no Brasil e no mundo (Foto: Agência Estado)


Em São Paulo, centenas de pessoas se reuníram no vão do MASP, na Avenida Paulista, para dar início a uma passeata em direção ao edifício do Ibama. A responsável pela comunicação do grupo Xingu Vivo, um dos que se uniram na manifestação, disse ter se espantado com o número de participantes. 'O ato de hoje tem uma característica especial, não tem uma coordenação central. Foram vários grupos que se mobilizaram espontaneamente, e isso mostra que a população começou a discutir a situação do Xingu', afirma. Ela lembra que já são 13 ações civis públicas movidas contra a construção de Belo Monte (Foto: Fábio Tito/G1)

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Plenária - Coletivo Vamos à Luta PA



Neste sábado (06/08) tem plenária do Coletivo @VamosaLutaPA, às 16h, no DCE-Unama (Alcindo Cacela). Todos LÁ.

O servidor parou!





Intervenção da FASUBRA no 52° CONUNE

Vamos à Luta no ato contra Belo Monte em Belém




"Governo Dilma, mas que vergonha
Constrói Belo Monte e destrói a Amazônia"


Vamos à Luta leva os servidores em greve no Conune


Ô, o servidor parou
O servidor parou
O servidor parou

Vamos à luta atuante no Congresso da UNE‏

Agência Brasil


O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva compareceu ao 52º Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE) para “matar a saudade”, como disse aos estudantes reunidos em Goiânia. Lula admitiu que “não via a hora de falar no microfone”, e exclamou: “Há quanto tempo não faço um discursinho”.

Lula reapareceu com seu estilo, alfinetou a oposição e “as elites”, enumerou as conquistas de seu mandato, em especial, na área de educação.

O ex-presidente disse que a imprensa tenta criar animosidade entre ele e Dilma Rousseff ao ressaltar diferenças de estilo de governar. “Não precisa ser especialista para saber que somos diferentes”. Segundo Lula, “o dia em que tiver divergências [com a presidenta], ela vai estar com a razão”.

Lula também criticou parte da imprensa que disse que a UNE promoveu um encontro “chapa-branca”, sob o patrocínio de estatais como a Petrobras, Eletrobras, Caixa Econômica Federal, além dos ministérios do Transporte, Turismo, Saúde, Esporte e Educação. A representação estudantil também teve apoio da Prefeitura de Goiânia, do governo de Goiás e da Confederação Nacional dos Transportes (CNT).

“Na TV tem propaganda de quem?”, perguntou Lula à platéia. “Para eles é democrático, para vocês é chapa branca”, e acrescentou “alguns jornais se acham nacionais, mas os grandes [veículos] de São Paulo não chegam ao ABC”. Segundo Lula, a população sabe que não precisa mais de “intermediários” para ter acesso à informação.

O presidente da UNE, Augusto Chagas, afirmou aos jornalistas que apesar da presença de Lula, do ministro da Educação, Fernando Haddad, e dos cerca de R$ 3 milhões recebidos do governo, “ainda não contabilizados” para fazer o congresso, a entidade mantém a autonomia em relação ao governo. Amanhã a UNE fará uma passeata pedindo que os royalties da exploração do petróleo na camada do pré-sal sejam investidos em educação e atinjam 10% do Produto Interno Bruto (PIB). O governo trabalha com a projeção de 7%.

Em discurso, Haddad defendeu a UNE. “Algumas pessoas acham que é possível comprar consciência com alguns trocados. Estudantes não se vendem por dinheiro nenhum”, elogiou, antes de dizer que tinha “autoridade para participar de cabeça erguida” do congresso porque o governo manteve um canal aberto com os estudantes para conhecer suas reivindicações. Para o ministro quem não se comove com a ascensão de famílias de origem pobre que agora têm filhos na universidade, “tem que ser diretor do Banco Central”.

Apesar de Lula e Haddad serem efusivamente recebidos no congresso pela maioria dos estudantes em Goiânia, houve quem protestasse contra o ex-presidente e contra o atual governo.

Para a estudante de história da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio), Priscila Guedes, da corrente política Coletivo Vamos à Luta, ligado ao P-SOL, o evento da UNE “serviu para fazer palco para o governo” e nada foi falado sobre o contingenciamento de verbas para a educação, na greve dos servidores das universidades federais, nas universidades públicas novas que não têm bandejão e da falta de sala de aula.

Tese INDIGNADOS - Vamos à Luta ao 52º Congresso da UNE


Clique na imagem para ler a tese.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

2º Pré-CONUNE

Pará: CPI para derrotar os corruptos da ALEPA

Temos acompanhado com indignação a “farra” que foi feita com o dinheiro público na Assembléia Legislativa do Pará. Funcionários “fantasmas” e “laranjas” foram os meios utilizados, por uma quadrilha de deputados e assessores para roubar milhões de reais dos cofres da ALEPA. São esses parlamentares, que aumentam seus próprios salários, e que vem saqueando os cofres públicos de nosso estado.
De acordo com o Ministério Público, nos últimos anos parlamentares como o caso do ex-jogador de futebol Robgol (PTB), o ex-presidente da casa, Domingos Juvenil (PMDB) e o ex-diretor do DETRAN, Sérgio Duboc (PSDB), desviaram mais de R$ 1 milhão por mês através do esquema montado.

Corruptos enriquecem enquanto as escolas caem aos pedaços...
Estima-se, que nos últimos cinco anos, mais de R$ 25 milhões foram desviados dos cofres públicos através do esquema montado na ALEPA. Esse dinheiro possibilitaria a reforma ou a construção de 10 escolas de grande porte a cada ano, garantiria o PCCR dos professores ou poderia aumentar os recursos para a UEPA.
Mas o que temos visto é justamente o contrário. O governo Jatene (PSDB) aprofunda a crise da educação no Pará, quando não garante a reforma de nenhuma escola. O Deodoro de Mendonça está a mais de 20 anos sem reforma. Com salas de aula literalmente caindo aos pedaços, com ventiladores pendurados apenas por fios elétricos, salas quentes e sem quadro. Até ratos estão morando nas salas. Essa é a situação de várias escolas em todo o estado.
A situação da UEPA também não é diferente. Faltam livros nas bibliotecas e no curso de letras não há data-show. Mais estarrecedora ainda é a obra do bloco V no CCSE, que completa um ano de paralisação.
É um absurdo que enquanto a gangue da ALEPA enriquece ilicitamente, os estudantes tenham que pagar essa farra com uma educação de péssima qualidade.

Vamos à Luta! Cadeia pros corruptos!
Para dar um basta nessa situação nos somamos a mobilização que ocorre nessa quarta-feira, 29/06. Até agora apenas o baixo clero da corrupção foi investigado. Queremos punição e cadeia para os que saqueiam dinheiro da saúde e educação e engordam seus bolsos. Por isso exigimos a imediata instalação da CPI na ALEPA. E aí, vamos à luta?


Veja nosso panfleto

quarta-feira, 15 de junho de 2011

15º Congresso da UMES Belém: É preciso ir às ruas pela reforma das escolas!

Gabriel Cunha e Rayssa Machado

Aconteceu no sábado, dia 11/06, no Colégio Ideal o 15º Congresso da União Metropolitana dos Estudantes Secundaristas de Belém (UMES). Participaram do fórum cerca de 300 estudantes de várias escolas de Belém, Ananindeua, Outeiro, Icoaraci e várias outras áreas da região metropolitana. O Coletivo Vamos à Luta participou do congresso, pautando a necessidade imediata do movimento estudantil começar uma campanha pela reforma das escolas da rede estadual de ensino, bem como mais verbas para as escolas poderem investir na qualificação dos professores, o apoio a luta desses em sua campanha salarial, os 10% do PIB pra educação e contra os cortes de Dilma e Jatene na educação.

Infelizmente, a direção majoritária eleita no CONUMES (UJS, JSPDT e JPT) representa os mesmos setores que puseram a entidade no marasmo e não ajudou as principais lutas no movimento estudantil nos últimos anos na capital paraense. Os setores da oposição saíram com duas diretorias: Vamos à Luta (Coordenação de Movimentos Sociais) e Contraponto (Coordenação de Combate às Opressões).

Majoritária da UBES não consegue blindar o governo, o corte no orçamento aprofunda a crise da educação
O corte do governo Dilma de 3,1 bilhões do orçamento da educação, somado ao do Governo Jatene e o projeto desses governos para a educação foram partes centrais dos debates no congresso. O próprio presidente da UBES, Yann Evanovick, que participou do CONUMES teve que reconhecer os problemas existentes na política do governo federal através do ENEM e do PRONATEC que seguem sendo formas de limitar o acesso ao ensino superior e de transferir para iniciativa privada vagas que poderiam ser públicas em troca de isenção fiscal no ensino técnico. Mesmo assim, o presidente da UBES contraditoriamente insistiu em dizer que houve avanços nos últimos anos. Nós do Vamos à Luta apontamos nossa crítica, diferente da majoritária da UMES e UBES, para além de pontuar pequenos problemas. O governo tem um projeto para educação que consiste na precarização da qualidade do ensino, por isso vai aplicar projetos que sirvam de maquiagem para o caos que é a situação do ensino no país. PROUNI, REUNI, PRONATEC e ENEM são as ferramentas que o governo Dilma tem para iludir a juventude brasileira. A maioria dos estudantes seguem entrando em universidade particulares em que a qualidade do ensino é a pior possível e o ensino médio tem amargado a falta de qualidade com bibliotecas precárias, escolas caindo aos pedaços e falta de professores. Essa é a realidade da educação brasileira.


Começar agora a luta pela reforma das escolas!
É preciso agora organizar a luta dos estudantes para depois do CONUMES. A situação das escolas segue um caos e o congresso aprovou a proposta da oposição de realizar uma campanha pela reforma das escolas que culmine num ato na secretaria de educação. Ou a UMES organiza essa luta como sua primeira tarefa para derrotar a política de sucateamento da educação do governo Jatene (PSDB) ou os estudantes não irão esperar essa entidade para defender seus direitos. O Vamos à Luta, o Grêmio UG e o Grêmio JAM fazem um chamado a todos os setores do movimento estudantil a começarmos pra já a organização de um calendário que fortaleça a luta dos estudantes secundaristas de Belém em defesa de uma educação de qualidade. O tempo não pára, por isso, Vamos à Luta.

- Reformas das Escolas já!
- Implantação do PCCR dos professores!
- 10% do PIB pra educação agora! Não esperar 2020 como propõe o Novo PNE (Plano Nacional de Educação)
- Por transporte público de qualidade!
- Contra os cortes de Dilma e Jatene na educação!
- CPI Já na ALEPA!


Leia a tese Vamos à Luta no 15º Congresso da UMES Belém



NOTA DA UNIDOS PRA LUTAR - BOMBEIROS DO RIO DE JANEIRO

SOLIDARIEDADE A JUSTA LUTA DOS BOMBEIROS DO RIO DE JANEIRO
LIBERDADE IMEDIATA AOS PRESOS POLÍTICOS DO GOVERNADOR SÉRGIO CABRAL

Reunião de Bombeiros na ALERJ

439 soldados presos, dezenas de feridos e completo desrespeito aos direitos humanos foi o saldo da operação realizada pela Tropa de Choque da Policia Militar e pelo Batalhão de Operações Especiais (BOPE) para desocupar o Quartel Central do Corpo de Bombeiros tomado por mais de 2 mil soldados no dia 04/06. Os bombeiros há mais de um mês reivindicam reajuste salarial e melhores condições de trabalho, sendo que no Rio de Janeiro recebem R$ 950 reais de salário.

A ação de repressão e despejo foi ordenada pelo governador do Estado do Rio de Janeiro Sergio Cabral (PMDB) um dos principais aliados da presidente Dilma Rousseff e por muito pouco não termina em tragédia.

Na coletiva a imprensa dada pelo governador horas após o conflito estampava-se em sua face o ódio e o desprezo para com a categoria e seus familiares.

Sérgio Cabral com o cinismo que lhe é peculiar chamou de vândalos os trabalhadores (as) que durante as últimas tragédias naturais ocorridas no estado não mediram esforços para salvar milhares de vidas soterradas pela lama. 

Tragédia de dimensões gigantescas cujos responsáveis são a maioria dos políticos e seu total descaso com os problemas da população e dos trabalhadores. Pouco lhes importa que os bombeiros tenham salários arrochados ou que famílias inteiras fiquem sem teto, porque eles já são podres de rico! No caso do governador, dono de uma luxuosa cobertura no Leblon e de uma mansão em Angra dos Reis enquanto que o Ministro da Casa Civil de Dilma, Antonio Palocci ganhou nada menos que R$ 20 milhões de reais em quatro anos, traficando influências e vendendo informações privilegiadas para empreiteiras e banqueiros amigos do PT/PMDB que financiaram suas campanhas eleitorais.

O estado do Rio de Janeiro se prepara para receber dois mega-eventos esportivos, que deveriam ser preparados com toda seriedade. Mas estão gastando bilhões de reais em obras sem nenhuma transparência para favorecer suas amigas empreiteiras das quais eles com certeza receberão generosas “propinas”, enquanto que, para os trabalhadores, para segurança publica, para saúde ou educação é cada vez menos orçamento e mais ajuste!

Por trás do glamour que ostenta nossa cidade maravilhosa existe uma enorme desigualdade social. De um lado a ganância dos ricos que controlam a Super-via, as Barcas S/A e que detém parte do negocio gerado pelo monopólio da água e do esgoto, do outro lado uma população que se pendura nos trens e paga uma das passagens de ônibus mais caras do país.

A luta dos trabalhadores (as) do corpo de bombeiros é parte da luta que vem travando trabalhadores em educação e o conjunto dos servidores estaduais contra o governo do estado por melhores salários e condições de trabalho. Por isso todos devem estar unidos nessa luta.

A resposta que vem dando Sergio Cabral às justas reivindicações dos trabalhadores (as), em especial do Corpo de Bombeiros, não tem sido a destinação de uma parte dos royalties provenientes da produção do petróleo e do pré-sal, ao contrário, tem sido bombas de efeito moral, gás lacrimogêneo, spray de pimenta e uma completa criminalização das lutas salariais. Daí que os bombeiros presos são todos presos políticos do Governo do Estado, por exercer o legítimo direito de lutar por melhores salários!

Exigimos a libertação imediata desses trabalhadores e a imediata abertura de negociação com a categoria no sentido de atender suas justas reivindicações.

Não aceitaremos nenhum processo disciplinar que macule a vida profissional dos “heróis” trabalhadores que arriscam suas vidas para salvarem vidas.

Enquanto todos fogem do fogo, nossos heróis são obrigados a encarar o fogo. Enquanto todos fogem do perigo, nossos heróis são obrigados a enfrentar o perigo. 

Sabemos reconhecer como trabalhadores que somos a luta dos bombeiros do Estado do Rio de Janeiro. Sua luta é nossa luta. ESTAMOS JUNTOS!

É principio de UNIDOS PRA LUTAR A SOLIDARIEDADE DE CLASSE a todos os trabalhadores que lutam contra os governos e os patrões por melhores salários e condições de trabalho.
  
Nesse sentido, colocamos a disposição dos Bombeiros e seus familiares a limitada e humilde estrutura política e material de nossos sindicatos e associações para ajudar que sua luta seja vitoriosa. Isso significa a utilização de nossas sedes, carro de som, telefones e apoio financeiro para ajudar a coordenar sua luta que já é nacional. NENHUM PASSO ATRÁS. FIRMES NA LUTA ATÉ A VITÓRIA!
 
UNIDOS SOMOS FORTES!
QUEM É! QUEM É! É O BOMBEIRO NO LOCAL!

“Rija luta aos heróis aviventa,
Inflamando em seu peito o valor,
Para frente o que importa a tormenta
Dura marcha ou de sóis o rigor?
Nem um passo daremos atrás,
Repelindo inimigos canhões
Voluntários da morte na paz
São na guerra indomáveis leões”.

Estrofe do Hino do Soldado do Fogo (Bombeiros)
Letra: Tem. Sérgio Luiz de Mattos - Música: Cap. Antonio Pinto Júnior

Rio de Janeiro-RJ, 05 de Junho de 2011.

CONUNE: Oposição de Esquerda vence eleição na UFPA

A chapa 2 Convite à Luta, composta pelos coletivos Vamos à Luta, Romper o Dia, Consulta Popular, Contraponto e independentes venceu o processo eleitoral para tiragem de delegados para o Congresso da União Nacional dos Estudantes (CONUNE) na Universidade Federal do Pará.

A chapa 2, da Oposição de esquerda obteve 1753 votos (61,2% da votação) ficando com 26 delegados e a chapa 1, composta por UJS, Kizomba e JSPDT, 1114 votos (38,8%) elegendo 17 delegados.

Para Natasha Machado, do Coletivo Vamos à Luta, do DCE UFPA e membro chapa 2, “a eleição do CONUNE na UFPA demonstrou que existe um novo momento na universidade. Os estudantes da UFPA optaram por um setor que expressa que a situação do ensino não está bem, que os cortes do governo no orçamento da educação refletem diretamente na falta de bebedouros, com filas no RU, salas quentes e faltas de professores.

Para lutar contra isso é que deve existir movimento estudantil na universidade e o Congresso da UNE deve servir para que a Oposição de Esquerda organize os estudantes a não serem enganados pelo discurso da majoritária de que a situação da educação vem melhorando. O REUNI inchou a UFPA e não temos novos investimentos. Essa é a realidade, frisou.

O resultado dessa eleição deve ser canalizado para o dia a dia na sala de aula e nos centros acadêmicos. Assim, poderemos construir um calendário de mobilizações na UFPA que possibilite a universidade sair da crise que se encontra”, finalizou a diretora do DCE.

15 mil paraenses participam de caminhada contra corrupção

Ao todo 15 mil pessoas, entre representantes da sociedade civil, políticos, entidades não governamentais e da sociedade em geral estiveram em caminhada na manhã deste sábado (28) pelas ruas de Belém em uma manifestação contra a 'Corrupção, pela Vida e pela Paz'. A mobilização teve início às 10h, em frente à sede da OAB-PA, e seguiu pela Travessa Padre Eutíquio até à sede da Alepa (Assembleia Legislativa do Pará).


DSC_0699


caminhada


DSC_0501


DSC_0388


DSC_0975


DSC_1048

terça-feira, 10 de maio de 2011

Panfleto do Vamos à Luta pro ato contra o aumento da passagem em Belém no dia 12/05


Versão online do panfleto: http://migreme.net/1969

No próximo dia 12/05, os estudantes de Belém vão mais uma vez às ruas contra o aumento da passagem de ônibus. Na última sexta-feira, o Conselho Municipal de Transportes vetou a proposta de reajuste dos empresários de ônibus que queria um reajuste de R$ 2,21. Isso só ocorreu porque houve muita mobilização dos estudantes nos quatro atos anteriores. Os estudantes do colégio Ulysses Gimarães deram o exemplo de como se mobiliza na audiência pública do dia 29/04.

5 meses sem aumento da passagem: Uma vitória dos estudantes e trabalhadores
Todos os anos a passagem de ônibus aumenta. A desculpa sempre é a mesma: renovação da frota, salário dos rodoviários e mais uma meia dúzia de enrolação. No entanto, esse ano foi diferente. No Brasil todo houve mobilizações, mas foi em Belém que tivemos a maior vitória. Desde dezembro de 2010 os empresários tentam aumentar a passagem e só não conseguiram, porque houve quatro atos que colocaram a prefeitura na parede. Foi a força das passeatas, das panfletagens e dos estudantes na rua que fizeram que até agora o preço do ônibus não seja de R$2,21 como quer o sindicato dos empresários (SENTRANSBEL).

A prefeitura e os empresários já prepararam o aumento da passagem
Depois de todos esses meses, a prefeitura e os empresários já negociaram o aumento e resolveram apertar o cerco. Isso está claro nas declarações da CTBEL de que há melhoria na frota dos ônibus e que o aumento é justo. O Conselho Municipal do Transporte que é um fantasma que não representa a vontade da população irá votar na próxima reunião do dia 11 (quarta-feira), a proposta de aumento para R$ 2,00. 

Dia 12 (quinta-feira) todos à prefeitura para que o aumento não seja homologado
Depois da reunião do conselho municipal a proposta vai para a mesa do Prefeito Duciomar. Só haverá reajuste por culpa da prefeitura. Portanto, dia 12 convocamos todos os estudantes e trabalhadores para lotar a frente da prefeitura para exigir que Duciomar não homologue o reajuste da passagem. 

TODOS À PREFEITURA
PASSEATA COM CONCENTRAÇÃO ÀS 9H
EM FRENTE AO ULYSSES GUIMARÃES
                                            DIA 12/05 QUINTA-FEIRA

sábado, 30 de abril de 2011

Belém: Estudantes conquistam congelamento da passagem em audiência

Mais de 400 pessoas ocuparam a sede da prefeitura de Belém para barrar o aumento da tarifa
 
Os estudantes de Belém realizaram uma poderosa mobilização na manhã dessa sexta-feira, 29/04, quando mais uma vez protestaram contra o aumento da passagem de ônibus e por transporte público de qualidade.

 

Saindo do Colégio Ulysses Guimarães, os secundaristas foram aos poucos tomando as ruas do centro da cidade, passando por outras escolas m obilizando, como no Deodoro de Mendonça e o Orlando Bittar. O ato foi reforçado mais ainda, quando na Avenida Presidente Vargas os estudantes da UNAMA chegaram num ônibus e os manifestantes seguiram em passeata até a prefeitura.

 

Chegando na sede do governo municipal, depois de muito pressionar, os estudantes conseguiram que a audiência acontecesse. A princípio os representantes da CTBEL e da prefeitura não queriam decidir nada e defenderam os argumentos das empresas de ônibus que falam que renovaram a frota e aumentaram o número de veículos circulando, argumentos que foram contundentemente desmentidos pelos representantes do Sindicato dos Rodoviários de Ananindeua e Marituba (SINTRAM) e pelo Sindicato dos Servidores Públicos Federais (SINTSEP-PA). Depois que os estudantes ameaçaram ocupar o prédio, a mesma cedeu e declarou que não haverá aumento da passagem até a próxima reunião do Conselho Municipal de Transportes, que acontece no dia 12/05.

O Coletivo Estudantil Vamos à Luta junto com o Grêmio UG e o DCE UNAMA entendem que estamos diante de um fato histórico em nossa cidade. Nunca antes a prefeitura havia recebido o movimento estudantil para tratar do transporte público. Até agora os empresários de ônibus não conseguiram aplicar o reajuste da tarifa para R$2,15 como pretendiam no mês de janeiro. A mobilização dos estudantes e trabalhadores tem sido decisiva para por em xeque mais esse ataque. Vai ser seguindo mobilizados que esse ano a população vai garantir que em 2011 não haja aumento da passagem em Belém e que esse processo seja um exemplo para que nos outros estados do Brasil se consiga barrar o aumento e seja garantido transporte público de qualidade. Vamos à Luta!

Veja as fotos no Blog do Vamos à Luta Nacional: